O Reiki e Seus Símbolos

Para entendermos mais sobre a importância dos símbolos, devemos refletir sobre a existência de símbolos comuns e os símbolos considerados sagrados.  As letras, palavras, desenhos, placas de trânsito, sinais gráficos são símbolos com os quais lidamos no nosso cotidiano, e podem ser considerados dos tipos comuns, relacionados com fatos de nossa vida na Terra, digamos, do ponto de vista material. Existem outros símbolos que fazem relação com fatos além da matéria, que nos remetem ao âmbito espiritual, energético, místico. Chamaremos esses símbolos, genericamente, de sagrados. Apesar de estudos mais aprofundados poderem propiciar maior entendimento, classificação e denominação para os símbolos, para nós nesse momento bastará utilizarmos essa divisão para prosseguirmos em nosso estudo.

Os símbolos comuns nos passam informações importantes para transmissão de saberes, orientações, normas, indicações, etc. Os símbolos sagrados nos conectam com realidades transcendentes, nos pondo em contato com aspectos mais profundos de nós mesmos e/ou em contato com realidades mais sutis. O símbolo sagrado que mais temos contato é a cruz, amplamente utilizada pelo cristianismo, embora seja precedente a este. O uso da cruz, como símbolo sagrado no contexto do cristianismo, faz referência ao ícone principal do cristianismo e sua mensagem: Jesus Cristo. Como podemos supor um mesmo símbolo sagrado pode também ser usado em diferentes contextos, embora ambos sagrados, e mesmo em outros contextos com um símbolo comum. Ainda pelo exemplo da cruz temos seu uso como símbolo comum nas operações matemáticas de soma.

Portanto como observamos um mesmo símbolo pode ser usado para diferentes finalidades, por isso para se conectar com a finalidade desejada é NECESSÁRIO que o sujeito que fará a utilização de um símbolo sintonize-se através da sua consciência, vontade, atenção e intenção. Esses pontos deverão ser muito considerados para aprofundamento, e nos seminários presenciais do Reiki mais informações serão dadas. Resumindo esse aspecto: quem usa; como usa; porque usa; para que usa; são questões importantes de serem consideradas para o aproveitamento máximo de toda a potencialidade que um símbolo tem.

Os símbolos sagrados podem ainda ser subjetivos ou objetivos, ou ambos ao mesmo tempo. Cada vez que se traça um símbolo no mínimo ele deve ter uma repercussão subjetiva, ou seja, causar alguma impressão ou resultado no sujeito que o traça, auxiliando-o a alcançar um estado ou condição íntima propícia a algo. Contudo, os símbolos corretamente utilizados podem provocar repercussões não só subjetivas, mas também objetivas, ou seja alterações na realidade externa ao sujeito, de acordo com cada finalidade. Se você traça um símbolo desejando harmonizar um ambiente, você pode conseguir um efeito apenas subjetivo, ou seja em si mesmo, mas também poderá através da prática e domínio do símbolo fazer com que ele atue objetivamente harmonizando o ambiente, de tal maneira que os demais sujeitos presentes ou que visitem o local depois percebam as alterações.

Nesse sentido, os símbolos sagrados devem ser usados com consciência, conhecimento, vontade, atenção e intencionalidade corretas. Bem como seus traçados devem ser exatos para que tenham efeitos objetivos. Por exemplo, o sinal de uma cruz, digamos, em uma operação matemática de soma, tem seu significado e resultado alterado caso giremos em 45º, passando a representar multiplicação, alterando o elemento final.

No reiki os símbolos são compostos por mantras (sons) e yantras (desenhos). Cada símbolo deve ser feito desenhando o yantra e decretando seu mantra três vezes. Ressaltamos que o símbolo deve ser construído, na ordem e direção correta. Não devemos visualizá-lo pronto como um carimbo. O mais recomendado é desenhá-lo com a palma da mão e decretar o mantra em voz alta, pois esses dois atos promovem grande projeção energética. No entanto, convenientemente, podemos traça-lo apenas com alguns dedos por exemplo, ou mesmo visualizar sua construção (sem movimentar as mãos) e decretar mentalmente o mantra por três vezes. De vez em quando devemos desenhar os símbolos em papel para corrigir eventuais desvios.

Particularmente sobre os símbolos do reiki, quando o aluno é iniciado, é realizada uma uma ligação com a egrégora do Reiki que permitirá acessar toda a potencialidade de determinados símbolos, conforme o nível do curso.

 

Autor:

Eduardo Isaac
Mestre Reiki

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *